Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 291
Data:
30/9/2001
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 639511 vezes
» Índice
» EDITORIAL
E agora?
» TURISMO
Sierra Nevada A magia da neve
» TURISNOTAS
Espaços deslumbrantes e o supra-sumo do luxo fazem do Burj Al Arab o único hotel sete estrelas do mundo
» SOCIAL LIGHT
Jorge Gerdau Johannpeter e Josinha Pacheco fazem festas concorridas em Salvador
» TRIANGULO
A vitória de ACM
» BOCA MIUDA
Hartung diz para Luiz Paulo que denúncias de irregularidades na prefeitura já estão pegando mal
CAPA

De acordo com a ciência, a longevidade pode depender de um gene que só alguns têm a sorte de ter. E porque a maioria parece mesmo não o possuir, os cientistas tentam encontrar medicamentos e técnicas milagrosas que façam parar o tempo.  
 
Até hoje, o recorde da longevidade encontra-se nos 121,5 anos e pertence a Geanne Lousine Calment, uma francesa que nasceu em 1875 e morreu em 1997. Para quem viveu na época de Van Gogh e conheceu a era espacial na sua plenitude, a vida terá sido um mistério recheado de surpresas. Só que nem sempre as surpresas foram as melhores. E Geanne acabou mesmo por passar o fim da vida numa cadeira de rodas, surda e quase cega. Um fato pouco surpreendente mas que preocupa cada vez mais as sociedades cujas esperanças médias de vida têm vindo a aumentar.  
Drible - É necessário não só viver muito como viver com qualidade. Portanto, o caminho encontra-se aberto para os laboratórios farmacêuticos que continuam tentando encontrar compostos que sejam capazes de ir driblando a velhice e a morte. A utopia da saúde perfeita está instalada e a ciência continua a servir a humanidade com o propósito de esta encontrar a eterna juventude. Esta é, aliás, uma matéria em que os americanos são peritos. De acordo com os últimos dados disponíveis, os norte-americanos gastaram, no último ano, US$ 43 milhões em produtos de antienvelhecimento da pele. E eles não são os únicos.  
No Brasil, os valores das vendas deste tipo de produtos têm aumentado significativamente. Mesmo o Viagra, que já deu à Pfizer milhões de dólares de receita em todo o mundo, tem registrado aumento das vendas em todo o mundo. De fato, são cada vez mais os homens que recorrem a este medicamento na tentativa de combater a impotência. Um bom pressuposto para as ações da Abbott, um laboratório farmacêutico que pôs no mercado um medicamento com o mesmo efeito do Viagra, que dentro de pouco tempo se encontrará à venda nas farmácias. Outro dos produtos que mais lucros dão às empresas é o que visa combater a alopecia. É que a medida que os homens vão se preocupando mais com o seu aspecto físico, vão tendo mais dificuldades em lidar com a inevitável calvície. Apesar de tudo, se tivermos em conta a idade em que o envelhecimento começa a ser percebido, não é de admirar que haja cada vez mais pessoas consumindo produtos que retardem o envelhecimento. Bastam 30 anos de vida para que o processo de substituição celular abrande o ritmo, permitindo o envelhecimento gradual dos tecidos e dos órgãos. Sistema imunológico e endócrino, músculos, glóbulos vermelhos e coração começam por ser os mais afetados e, portanto, os primeiros a dar problemas. E ainda que os fenômenos fisiológicos que acompanham o envelhecimento se tenham registrado nas gerações anteriores, hoje o corpo merece cada vez mais atenção. Controlar o organismo e conservar