Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 313
Data:
30/8/2002
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1374717 vezes
» Índice
» Editorial
Acordo informal
» Autos
O meu nome é Ferrari  
Enzo Ferrari  

» Turisnotas
Com crescimento recorde e obras de ampliação, aeroporto de Salvador passa a ser o terceiro maior do país
» Triângulo
Rebatendo o bombardeio que vem sofrendo da grande imprensa, Gratz apresenta 13 certidões negativas
» Boca Miuda
Theodorico Ferraço pede licença da Prefeitura de Cachoeiro para mergulhar na campanha do filho Ricardo
Boca Miuda

Mão abençoadora  
O senador Paulo Hartung (PSB), favorito nas pesquisas de intenções de voto para o governo, colocou a mão sobre a cabeça de Edson Vargas (PMN) como seu candidato a deputado estadual na Serra.  
Uma resposta à decisão do prefeito Sérgio Vidigal (PDT), que poda o surgimento de novas lideranças e ficou com Max Mauro (PTB) para o governo. Além de querer fazer deputada a mulher Sueli Vidigal.  
Frase  
“Tirando Marcus Vicente e Nilton Baiano, o resto é caminhão de japonês no chapão”.  
Do vice-prefeito de Vitória, Ademir Cardoso, confiante em ficar com uma das vagas de deputado federal na coligação PSDB-PPB-PMDB.  
Imbróglio I  
O deputado federal Magno Malta (PL), um dos favoritos na disputa pelo Senado, disse à coluna que já estava avisado pela força-tarefa federal no Estado de que sofreria três atentados: dois morais e um contra a vida.  
Por isso, não se surpreendeu ao saber que anda circulando, nos bastidores políticos, uma série de documentos que pretendem desestabilizar sua campanha ascendente ao Senado. E sabe que a ação vem do prefeito Theodorico Ferraço, de Cachoeiro.  
“Só lamento que uma pessoa a quem eu dediquei tanto carinho passe para um método tão mesquinho, de desespero. Mas eu também tenho meus trunfos. Se usarem esse tipo de arma, eu tenho a resposta, com farta documentação”, ameaçou Magno Malta.  
Para se prevenir, Magno montou um dossiê e distribuiu para 20 pessoas diferentes. Se acontecer alguma coisa com ele, essas pessoas vão tornar o dossiê público.  
Aposta virtual  
O deputado federal João Coser (PT), que começou o processo eleitoral como candidato ao governo e mudou para o Senado, descartou uma nova renúncia e disse que vai até o final.  
Ele está apostando no horário eleitoral na televisão e no “casamento” de sua candidatura com a de Lula presidente, para reagir na briga por uma vaga ao Senado que trava com Gerson Camata (PMDB), Magno Malta (PL) e Ricardo Ferraço (PPS).  
Segundo as pesquisas, Coser é o quarto na disputa. Embolados na frente estão Magno, Ricardo Ferraço e o senador Gerson Camata, que já não está tão seguro.  
Com Lula presidente e mesmo que perca, sobraria a Coser ocupar uma posição de destaque no governo, baseado em sua experiência na Câmara dos Deputados.  
Ciúmes de Rita  
O vice-governador mineiro New-ton Cardoso, candidato do PMDB ao Palácio da Liberdade, está mordido com a deputada federal capi-  
xaba Rita Camata, candidata a vice-presidente na chapa de José Serra.  
Ritinha pediu voto no Triângulo Mineiro para Aécio Neves, o candidato do PSDB ao governo de Minas. Newton promete colocar a boca no trombone.  
Peso  
Os bruxos políticos não estão com essa bola toda nas eleições deste ano no Espírito Santo.  
Beth Rodrigues, que disputa com Jane Mary o título de bruxa-mor do Estado, ficou contida na equipe da campanha de Paulo Hartung ao governo apenas com a responsabilidade pela assessoria de imprensa.  
A coordenação-geral é de Luiz Carlos Azedo, chefe no Estado do escritório da Companhia de Notícias e ex-coordenador de imprensa da Prefeitura de Vitória.  
Jane por enquanto está fora das candidaturas ao governo.  
De cabeça no voto  
Theodorico Ferraço (sem partido) licenciou-se por 60 dias da Prefeitura de Cachoeiro para cair de cabeça na campanha do filho, Ricardo Ferraço (PPS), para o Senado.  
Num discurso no lançamento da campanha de Marcus Vicente (PPB) à reeleição, em Ibiraçu, Ferração disse que quer vê-lo o deputado federal mais votado do Estado.  
No grupo político vicentista é onde Ricardo Ferraço tem encontrado maior espaço. A campanha de Marcus é casada com a dele. E só.  
Café frio  
O governador José Ignácio Ferreira (PTN) desistiu de vez de concorrer à reeleição.  
O cafezinho já está frio no Palácio Anchieta, onde os gabinetes não apresentam nem a sombra da grande movimentação de outrora.  
Imbróglio II  
“Quem manda aqui não é procurador estadual, federal e nem internacional. Quem manda aqui é o povo do Espírito Santo”. Reação do presidente da Assembléia, José Carlos Gratz, a acusações do Ministério Público Federal de que ele cometeu crime contra o sistema financeiro ao dizer que o Banestes deve R$ 450 milhões.  
Essa informação não é apenas de Gratz, mas é pública. Foi dada aqui mesmo na VidaBrasil pelo presidente do Banestes, João Luiz Tovar, em longa entrevista em que falava da necessidade de vender a instituição porque o Estado está gastando 5% de suas receitas líquidas para pagar a dívida do banco.  
Tiro no pé  
A se julgar pelas últimas pesquisas, Ricardo Ferraço (PPS) pode estar atirando no próprio pé ao pedir voto para ele e para Gerson Camata (PMDB) para o Senado.  
O “italiano” despencou nas intenções de voto e está brigando, em condições de igualdade, com Magno Malta, primeiro, e com o próprio Ricardo, logo em seguida.  
Horário eleitoral  
Do candidato do PFL ao governo, Haroldo Santos Filho, no horário eleitoral gratuito na televisão: “O Espírito Santo é um Estado onde não há analfabetismo”.  
Então, todas as estatísticas estão erradas e moramos na Suíça e não sabíamos.  
Candidatos únicos  
O PV e o PCdoB estão adotando a mesma tática nessas eleições: candidaturas únicas. Pelo menos para a Câmara dos Deputados.  
Os verdes lançaram a deputado federal o professor universitário e escritor Carlos Magno Bravo, de Alegre, enquanto os comunistas vão de Namy Chequer.  
Contrastes  
Frases pinçadas do programa do T.R.E.:  
“Sei que me arriscao, mas estou disposto a dar minha vida para acabar com a bandidagem” (Max Mauro – PTB).  
“Vamos trazer de volta a fé, a esperança e a confiança no Espírito Santo” (Paulo Hartung – PSB).  
Medo  
Há muita gente com medo da força-tarefa federal que veio investigar o crime organizado no Estado. Chegou a circular, nos bastidores, o nome de um famoso empresário capixaba que teria sido preso no penúltimo fim de semana de agosto.  
O que já se sabe é que tem gente que, por precaução, foi passar uns dias em Miami e outros lugares do exterior.  
Zero  
Um lixo, a organização da Fórmula Renault. No tocante à imprensa, foi marcante a discriminação com os profissionais da cidade e os favores para muita gente que nunca entrou numa redação e desfilava carregando no peito uma credencial de imprensa. Nota zero.  
Hematomas  
Um alto funcionário do governo federal, de passagem pelo Espírito Santo, revelou que a estratégia do tucano José Serra na campanha presidencial já está traçada: “Consciente de que não vai dar para se recuperar, o Serra vai bater o tempo inteiro no Ciro Gomes para criar hematomas que continuem sangrando no segundo turno, impedindo que o eleitor os esqueça”.  
Assim, todos estariam unidos – Serra e Garotinho – em torno de Lula para derrotar Ciro Gomes no segundo turno.  

  
O senador Paulo Hartung (PSB)

Marcus Vicente

Nilton Baiano

Ferraço: “bomba” contra o pastor?

Tovar, presidente do Banestes

O deputado federal João Coser (PT),

Ciúmes de Rita

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.