Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 300
Data:
15/2/2002
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1297038 vezes
» Índice
» Memória
O trigésimo Primeiro
» Triangulo
A Uniletra e o social
» Boca Miuda
O imbatível
» Rio Classe A
O Rei é o show,mais uma vez
Boca Miuda

O imbatível  
Brasilienses de alta plumagem circulando pelo verão capixaba revelam: o governador Joaquim Roriz ganha a reeleição com os pés nas costas.  
Com grandes obras viárias para facilitar a vida da população, principalmente da classe média.  
 
Volta de Albuino  
O engenheiro Albuino Azeredo surgiu “do nada” e, depois de dois anos na Secretaria de Planejamento do governo Max Mauro, tornou-se governador do Estado em 1990.  
Depois, engolido pela máquina política, não conseguiu interferir em sua sucessão. Mas em 1998 voltou candidato e perdeu para José Ignácio Ferreira, a quem havia derrotado oito anos antes.  
Sem espaço político no Estado, Albuino perdeu o PDT, ligou-se ao governador do Rio, Anthony Garotinho, e foi presidir o Metrô. Atualmente, é o secretário de Transportes fluminense.  
No apagar das luzes, filiou-se ao PMDB capixaba e vai disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.  
Resta saber: para representar o Espírito Santo ou o Rio de Janeiro?  
 
Desafio  
Técnico competente, o engenheiro Jorge Hélio Leal atravessou o governo Vitor Buaiz desde os tempos do PT e manteve-se no cargo na administração José Ignácio, onde tem sido um dos seus pilares. Acusado pelo ex-gerente da Cooptefes, Gabriel dos Anjos de Jesus, de ter autorizado a transferência de R$ 25 milhões do DER para a cooperativa, Jorge Hélio reagiu indignado e desafiou o ex-gerente a apresentar alguma prova de que ele tenha autorizado tal transferência.  
“Eles falam o que querem. Entretanto, quero que apresentem as provas documentais que dizem possuir. Só desta forma a sociedade capixaba vai saber quem mente e quem fala a verdade. Se provarem, mandem me prender”, desafiou.  
A favor do secretário, existe o seu conhecido pragmatismo e o fato de ter sido ele o denunciante perante o Ministério Público, onde sobre ele não há qualquer suspeita. Já contra os seus acusadores...  
 
Trincheira camarada  
Pelo jeito, o veterano jornalista Luiz Aparecido da Silva, comunista histórico e radical, fincou trincheiras em Vila Velha e tudo indica que é para fazer a campanha de Max Mauro (PTB) ao governo.  
Anda distribuindo artigo para a imprensa fazendo “análise política capixaba”.  
Batendo e soprando em Paulo Hartung e enaltecendo o velho cacique dos Mauro.  
 
Fidelidade, sim  
Magno Malta, que é deputado federal do PL e não do PTB, como a coluna equivocadadamente informou na edição passada, acha que o PSB vai exigir fidelidade do senador Paulo Hartung à candidatura de Anthony Garotinho à Presidência da República.  
Como já se sabe, Hartung tem quedas preferenciais por José Serra, do PSDB, que não consegue decolar de jeito nenhum, mas tem a máquina do governo nas mãos.  
 
Profecia  
“Já derrubei dois e vou derrubar mais”.  
Do vereador Sebastião Pelaes (PMDB), alimentando sua briga com a administração municipal de Vitória. Ele jura que Luiz Carlos Azedo, seu desafeto, não volta para a Coordenadoria de Comunicação.  
A propósito: a pasta de Azedo, licenciado, ganhou um reforço extra, emergencial, de R$ 700 mil, repassados à agência A4.  
 
Intriga braba  
O site noticioso no.com.br alimentou as maldades que andam circulando nos bastidores do assassinato do prefeito Celso Daniel (PT), de Santo André (SP).  
Fala de íntima relação de amizade entre o ex-prefeito e o empresário Sérgio Gomes, testemunha do seqüestro, citando panfleto apócrifo distribuído na campanha eleitoral do município paulista com insinuações maldosas sobre os dois.  
O panfleto era cor-de-rosa.  
 
Banqueiros na cadeia  
O juiz federal Marcos André Moliani acostumou-se a convocar indiciados em crimes do colarinho branco para ouvir sentença e eles saírem algemados do Tribunal.  
Para evitar uma fuga preventiva dos implicados, mandou prender antes os dirigentes do extinto Banco Nacional, a instituição financeira da família Magalhães Pinto, que nasceu e cresceu com as bênçãos da ditadura militar tão bem apoiada pelo chefe do clã, que era governador de Minas em 1964.  
No ES, tem gente que precisa pôr as barbas de molho.  
 
Golpe baixo  
Parece não haver dúvidas da importância da Rede Globo para a definição das eleições de 1989, quando Collor derrotou Lula.  
A novela volta a ser exibida.  
No justo dia em que os personagens principais da dramaturgia deliciavam-se nos lençóis maranhenses, a governadora Roseana Sarney, pré-candidata do PFL à Presidência da República, ocupava todo o horário eleitoral no intervalo comercial.  
Quanta sutileza!  
 
O patrão mandou  
A mata atlântica continua sendo derrubada e transformada em carvão no sul da Bahia.  
Com autorização de chefe de escritório do Ibama, indicado politicamente.  
 
Lei seca  
As cidades-satélite de Brasília reduziram o índice de criminalidade proibindo a venda de bebidas alcoólicas na periferia depois das dez da noite.  
Quando essa idéia foi lançada no Espírito Santo, a grita foi geral e o projeto abandonado.  
 
Perigo na BR  
Cuidado com a Polícia Rodoviária Federal em Campos.  
Abordagens em locais ermos, com patrulheiros sem a tarjeta de identificação no uniforme, tornaram-se comuns.  
Um deles matou um caminhoneiro capixaba que teria se recusado a pagar propina.  
 
Dívidas eternas  
O deputado federal Max Mauro (PTB) tenta, em sua pré-corrida ao governo, firmar sua imagem de homem honesto e administrador austero.  
Até agora não apareceu ninguém para lembrar que foi no governo dele a origem dos precatórios impagáveis do Estado com os servidores públicos.  
Max, na época, simplesmente confiscou um terço do reajuste mensal dos funcionários, previstos em lei.  
Todos ganharam na Justiça o direito à reposição.  
 
Mistério palaciano  
É intrigante que o governador José Ignácio Ferreira (PTN) não tenha, até agora, trabalhado nenhum nome para sua sucessão.  
O grupo atualmente majoritário na política capixaba está sem ter para onde correr, diante das candidaturas postas.  
Uma suspeita: José Ignácio pode ficar no governo e concorrer à reeleição. Essa possibilidade ganha força mesmo entre seus auxiliares mais próximos, ainda que ele nada diga a respeito.  
Abril está à porta.  
Se Ignácio não deixar o governo até o dia 5, será candidato à reeleição.  
 
Mistério  
O advogado José de Arimatéia já foi o homem mais poderoso da administração municipal de Vitória. Primeiro, com Paulo Hartung. Depois, com o próprio Luiz Paulo Vellozo Lucas.  
Mas faz tempo que ninguém o vê.  
Advogado competente, Arimatéia saiu de circulação sem quê nem porquê.  
 
De perfumarias  
A propósito do grupo no poder em Vitória há quase 10 anos, nenhuma intervenção de vulto foi feita na cidade.  
Se se for olhar para trás, vai se ver que o que há na Educação foi Vitor Buaiz (PT) quem fez e que as obras de Paulo Hartung e, principalmente, de Luiz Paulo Vellozo Lucas estão muito mais voltadas para perfumaria.  
A duplicação da Fernando Ferrari, por exemplo, sustenta discursos há mais de década e não sai disso. Quanto às obras pluviais, quando chove muito as galerias não dão vazão. Parece que não estão devidamente limpas.  
O que há são muitos canteiros floridos, rotatórias em bairros, meio-fios pintados...  
 
Casa nova  
O PMDB de Vitória, que escapou das mãos de Rita Camata, interventora regional, está de casa nova no Edifício Conilon.  
A sala que sedia o diretório municipal levou o nome do ex-vereador Sandro Carioca, que morreu em um violento acidente de carro na Estrada do Contorno.  
 
Garotinho em alta  
Pesquisa do Ibope mostra o governador Anthony Garotinho (PSB), do Rio, em alta na corrida eleitoral. Encosta em Roseana Sarney.  
Lula lidera, mas o instituto simula confrontos dele contra os principais concorrentes e mostra que só Roseana pode conter o petista.  
Era tudo o que a direita queria.  
 
Execução sumária  
Mataram com 10 tiros, no meio da rua, em Belo Horizonte, o promotor Francisco José, que investigava a fuga misteriosa do traficante Fernandinho Beira-Mar de um presídio na capital mineira e o cartel da adulteração de gasolina na cidade.  
Depois, violência e crime organizado são coisas do Espírito Santo.  
 
Sonhos  
Francisco Pereira, o Xico Pneus, é o suplente dos sonhos do deputado federal Magno Malta (Partido Liberal) em sua chapa para o Senado.  
No velho esquema “quem financia a campanha fica na fila de espera de uma eventual vacância do cargo”, por oito anos.

  
Joaquim Roriz

Albuino

Jorge Hélio com JIF: pilar

Luiz Aparecido da Silva

Hartung

Magno Malta

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.