Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 300
Data:
15/2/2002
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1272348 vezes
» Índice
» Memória
O trigésimo Primeiro
» Triangulo
A Uniletra e o social
» Boca Miuda
O imbatível
» Rio Classe A
O Rei é o show,mais uma vez
Cidadão

Reconhecimento externo - Mas não faz mal. O reconhecimento passou a vir de fora. Nas comemorações dos 15 anos da revista, Marco Aurélio Costa trouxe para dentro da casa do dono da VidaVitória toda a cozinha de seu famosíssimo restaurante Piantella, considerado o quarto poder da capital da República, onde sempre tiveram mesas cativas personagens como Ulysses Guimarães, Luiz Eduardo Magalhães e Antonio Carlos Magalhães.  
“Ele chegou de surpresa, no sábado, e mandou que eu convidasse 50 pessoas para um jantar de amigos. No meio da tarde, faltaram as flores para uma salada especial e o Marco Aurélio mandou um jato voar para Brasília só para buscar as flores.  
A demonstração de prestígio, porém, não se resume à generosidade do dono do Piantella. Quando a revista fez 12 anos, em 1997, trouxe a Vitória o homem que, à época, era o mais poderoso da República. Presidia o Senado e o filho comandava a Câmara dos Deputados. Cansou de colocar o próprio presidente em calças justas.  
Antônio Carlos Magalhães, senador baiano, noticiou um jornal diário da capital, estava vindo para filiar ao PFL o já, politicamente, declinante Graciano Espíndula. Tudo para não dizer que ACM estaria descendo em Vitória exclusivamente para a festa de aniversário da revista fundada e mantida por seu conterrâneo Celso Mathias. Era um almoço para mil pessoas, 800 confirmaram presença e 1.300 compareceram ao Centro de Convenções de Santa Lúcia.  
Duvidava-se, nos círculos mais influentes e na mídia, que Antonio Carlos viria a Vitória, mas na véspera Celso espalhou pela cidade, outdoors com a notícia. Mais demonstrações de prestígio viria a dar na festa dos 14 anos, quando 11 jatos pousaram no aeroporto de Vitória exclusivamente para a comemoração.  
Jatinhos que traziam personagens como Paulo Cabral, presidente da Associação Nacional dos Jornais, Ciro Batelli, Aramis Maia, dono da Nacional Transportes Aéreos, comandante Rolim Amaro, presidente da TAM, Pimenta da Veiga, Carlos Vellozo Lucas, o ministro da Defesa Elcio Alvares, Wagner Canhedo, da Vasp, Carlos Carneiro Costa, da Construtora Líder, que hoje tem mais de 60 prédios em construção no eixo Rio-São Paulo-BH-Brasília, Caio Luís de Carvalho, presidente da Embratur, Paulo Henrique Coco, presidente da Transbrasil.  
E, ainda, Perci Rodrigues, presidente da Rio-Sul, o empresário Paulo Octávio — ele ainda será governador do DF, o senador Sérgio Machado, João Augusto Cabral, diretor executivo do “Correio Braziliense”, Jair Coser, o maior exportador de café do mundo.  
Na festa dos 14 anos, havia representantes de todo o Brasil, o que se repetiu nos 15 anos. Gente como Luiz Fernando Levy, Carlos Carneiro Costa, o embaixador da Grécia, Stratos Doukas, o dono da Líder Táxi Aéreo, José Afonso Assunção, o dono de 24 concessionárias de automóveis no Sudeste, Bráulio Braz, o jornalista Gilberto Amaral, que comanda a hight society brasiliense, Toninho Drummond (O Globo-Brasília) e o capixaba José Farani, o homem da Academia de Tênis de Brasília.  
 
A metamorfose - Com a capa metamorfose, a revista anunciava, em 15 de setembro de 1999, a mudança de nome para VidaBrasil. O sucesso e os relacionamentos da revista despertavam ciúmes no balaio de caranguejos, do qual Celso Mathias tratou de se livrar.  
Desde então, a nova proposta editorial passou a ser a síntese do que já era com uma nova realidade, voltando-se para o corredor editorial Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio e São Paulo, onde está voltada especificamente para o trade turístico.  
Um novo edifício foi concluído com infra-estrutura para sediar jornal, rádio e televisão, na Ilha de Santa Maria, em Vitória. Novos espaços são abertos em nível nacional para a revista, cujos exemplares chegam a 28 mil endereços nobres, das classes B+ e A. Nos últimos seis anos, a edição da segunda quinzena de fevereiro traz a exclusiva pesquisa realizada por uma empresa paulista dos melhores do ano anterior.  
As grandes entrevistas são um capítulo à parte na história vitoriosa da revista VidaBrasil. Mais de 200 personalidades do Brasil e do mundo passaram por suas páginas. Para seu editor, Celso Mathias, a mais importante de todas, porém, foi a com o ex-presidente Fernando Collor de Mello, na edição nº 173.  
Pelo significado da entrevista e pelas dificuldades para realizá-la. A motivação foi uma reportagem que Celso leu na “Veja” e que considerou tendenciosa, pois dizia que o ex-presidente tinha um escritório de luxo em Miami e ele sabia que aquele não era um prédio luxuoso, mas um edifício de escritórios de classe média.  
Através de um amigo comum, o editor conseguiu o contato com o ex-presidente, que quis saber por que haveria de conceder uma entrevista para uma revista de Vitória.  
“É uma revista do Espírito Santo, mas que vai tratá-lo com dignidade e o sr. vai poder dar o recado que quiser para os que cassaram seu mandato, pois todos eles recebem a revista”, foi a resposta ao ex-presidente.  
Dias depois, Celso recebeu recado de Collor marcando a entrevista para Nova York. Ao chegar à Big Apple no dia combinado, o ex-presidente havia desmarcado o encontro. Celso voou de volta para o Brasil. Quando chegou em casa, havia um recado de Collor remarcando a entrevista para o dia seguinte em Miami.  
Cheguei a Miami às 5 horas da manhã. Saí de lá às 4 da tarde com um material tão explosivo nas mãos que não quis nem voltar ao hotel. Fechei a conta pelo telefone, eles mandaram-me um paletó que havia ficado lá e voei de volta para o Brasil, para editar o material”, conta.  
Além de VidaBrasil, na entrevista estavam a CNN e uma tevê alemã. Foi a edição que deu visibilidade nacional à revista, as pessoas pediam pelo correio, toda a edição se esgotou e o ex-presidente ainda encomendou uma tiragem extra de 5 mil exemplares, que distribuiu em Alagoas e na comunidade brasileira em Boston, NY, Miami, o que serviu para consolidar o mailing da VidaBrasil nos EUA.  
 
Liderança emergente - Todos os governadores do Estado passaram pelas páginas de VidaBrasil. A revista foi a primeira também a publicar uma grande entrevista com o deputado José Carlos Gratz, quando ele ganhou a presidência da Assembléia Legislativa, em 1997, mostrando sua emergência como o grande articulador político do Espírito Santo. Naquela entrevista, Gratz declarava: “Fui bicheiro, mas agora sou político”.  
Na relação de celebridades, o ex-presidente do Superior Tribunal Federal, Carlos Mario Velloso, que permitiu distribuir a edição com sua entrevista na fila de cumprimentos. Quando presidia a Câmara e era apontado como futuro presidente da República, o deputado Luiz Eduardo Magalhães veio a Vitória exclusivamente para ser entrevistado por VidaBrasil.  
Antes de seu affair com a apresentadora Hebe Camargo, o megaempreendedor brasileiro Ciro Batelli, o homem que mais entende de jogos no país, ficou conhecido dos leitores de VidaBrasil ao ser capa da edição de novembro de 98.  
Do jet set internacional, a revista entrevistou personalidades como Sheldon Adelson, que construiu um cassino em Las Vegas que é uma réplica de Veneza e presenteou-o à mulher. Uma bagatela de US$ 1,5 milhão. Antes das grandes revistas nacionais, foi VidaBrasil quem descobriu João de Mattos. Ele saiu do Brasil para os Estados Unidos com o propósito de trabalhar dois anos e trazer um Mustang, o carro dos seus sonhos. Ficou amigo íntimo do saudoso ex-beatle George Harrison, fez fama e fortuna e comenta-se que tem um patrimônio empresarial de US$ 100 milhões na terra do Tio Sam.  
 
Saia justa - Mas nem tudo são flores na trajetória de uma publicação vitoriosa como VidaBrasil. Existem também os espinhos, que não são propriamente derrotas. Não se sobrevive tanto tempo impunemente.  
Nesse período, Celso Mathias considera que a maior saia justa que levou foi com o governador Albuino Azeredo. As relações entre os dois não estavam boas e o editor, ainda assim, tratou de dar a Albuino o tratamento de chefe de Estado que era. Fez uma longa entrevista e, quando chegou à redação, o gravador havia falhado e a fita estava em branco.  
Ligou para a assessoria do governador, que aceitou fazer uma segunda gravação. “Mas saiu uma droga”, reconhece.  
E existem, ainda, aquelas entrevistas que sempre foram desejadas, mas nunca foram feitas. Como com o empresário Américo Buaiz. “Era low profile demais. Morreu sem me dar a entrevista”, lamenta-se Celso.  
Outra entrevista que Mathias não fez e nem vai fazer mais ele vai lamentar o resto da vida: “Tive todas as oportunidades para fazê-la, mas, devido à minha proximidade com o personagem, fui postergando. Ele acabou morrendo sem que eu o entrevistasse”. Era Rolim Amaro, presidente da TAM.  
Tirando esses dois personagens, já não existe mais nenhuma entrevista dos sonhos para Celso Mathias. “Pela sua característica, a revista vai testemunhando a história e dando espaço aos seus personagens na medida em que eles surgem. Estamos atentos a isso e espero não deixar passar mais nenhuma oportunidade como essa do Rolim”.  
Nas entrevistas ou nas capas de cada uma das 300 edições de VidaBrasil é contada a história de uma revista que, como seu dono, sertanejo nordestino, “morga mas não quebra”  


... em NY, com o embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima...
... Na Bahia, com o vice-governador Otto Alencar...
... em NY, com Lucy e José de Paiva Neto, Beth e PCO...
... em Vitória, com a família do governador José Ignácio. José Renato, Letícia e a primeira-dama Maria Helena Ferreira...
... em Brasília, com Ruth e o empresário Orlando Taurisano...
... em Brasília, com Fátima e o então presidente da OAB, Reginaldo Oscar de Castro...
... e com o diretor do Senado, João Carlos e sua Denise Zoghbi, ela secretária do governo da Bahia no DF...
... família Telemar: Marta e o superintendente Ivan Ribeiro de Oliveira, Rose e Ruy Dias de Souza...
... ACM, recebido pelos líderes políticos do ES para festejar os 12 anos de VidaBrasil...
... 12 anos, na chegada ao Centro de Convenções de Vitória, Mara e Gilberto Amaral, Rita e JC Gratz, Celyta Jackson e Luís Carlos Chaves...
... 12 anos, na mesa principal, o presidente do Congresso Nacional, ACM, o da AL, José Carlos Gratz, os senadores Gerson Camata e José Ignácio, o empresário Aylmer Chieppe e o então presidente da Varig, Fernando Pinto
... na mesma festa, Bernardete e Almir de Oren...
... da Samarco, Lara Dorna e o casal Glete e José Luciano Duarte Penido, presidente da empresa...
... na mansão do jornalista Gilberto Amaral em Brasília, uma grande festa para VidaBrasil. Da esquerda para a direita, José Farani — Academia de Tênis — Wagner Canhedo, o presidente da Embratur, Caio Luís de Carvalho, o então ministro do Planejamento, Paulo Paiva, Mônica Mathias e o anfitrião...
... Mônica Mathias e a anfitriã Mara Amaral entre Palmira e o diretor da Globo, Toninho Drumond...
... no mesmo evento, Nice e o senador Edson Lobão, o senador Gerson Camata, Mônica Mathias e Marcelo Amaral...
... o diretor executivo do “Correio Braziliense”, João Augusto Cabral, o senador Pedro Piva, o embaixador da Argentina, Jorge Hugo Herreras Vegas, e o anfitrião Gilberto Amaral.
Marcela Pagani e o empresário Adi Gama...
... na programação esportiva, prestigiando aniversário de VB, Ana Paola Pimenta da Veiga, Mariane Vicentini e Ana Cristina Kubitschek Pereira...
... Marco Aurélio...
... os empresários Hélio Perin e Ciro Batelli...
... Aramis Maia — Nacional Aviação, Mara e Gilberto Amaral, Ciro Batelli e Paulo Cabral...
... o lobista Alexandre Santos e o empresário José Afonso Assumpção...
... Sônia e João Luís Tovar...
... o advogado Aroldo Limonge e os empresários Apolo e Charles Rizk...
... Carminha e o presidente da CMV, Ademar Rocha...... Carminha e o presidente da CMV, Ademar Rocha...
... o governador José Ignácio e o presidente da “Gazeta Mercantil”, Luís Fernando Levy...
... José Afonso Assumpção, Bráulio Braz e, na foto abaixo, Carlos Carneiro Costa... ... com o presidente da Embratur, Caio Luís de Carvalho, e G. Amaral...
... coincidentemente, os três primeiros comandam poderosos grupos com o nome Líder...
... Wagner Canhedo, Helmut e Victor Mayerfruend...
... com Carlos Alberto Andrade Pinto e Jair Coser, o maior exportador de café do mundo...
... o ministro da Defesa, Elcio Alvares, o senador José Ignácio, o presidente da AL, José Carlos Gratz, o presidente do STF, Carlos Mario Velloso, o ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, e o deputado José Esmeraldo...
... o empresário Ciro Batelli, o jornalista Paulo Cabral e os barões da aviação, Percy Rodrigues, Rolim Amaro e Wagner Canhedo. Atrás, os senadores José Roberto Arruda e Sérgio Machado...
... embaixador Stratos Doukas, Carlos Carneiro Costa, José Carlinhos da Fonseca, governador José Ignácio, Luís Carlos Chaves, Elcio Alvares e Gilberto Amaral...
... Rita e José Carlos Gratz, Sérgio Borges, Fernando Camargo e Ciro Batelli. Eles fazem parte da história de VidaBrasil.
Celso Mathias recebe os títulos de Cidadão Capixaba em projeto de autoria do dep. Marcos Madureira (PFL)...
... a Comenda João Santos Filho, em projeto do vereador Dermival Galvão (PMN)...
... entregue pelo prefeito de Vitória, Luís Paulo Velloso Lucas (PSDB)...... entregue pelo prefeito de Vitória, Luís Paulo Velloso Lucas (PSDB)...
... e o de Cidadão Vila-velhense, projeto do então vereador Celso Vasconcelos (PSDB), entregue pelo prefeito Jorge Anders (PSDB)

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.