Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 290
Data:
15/9/2001
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1374572 vezes
» Índice
» EDITORIAL
Sucesso
» AUTOS
Filho de uma raça maior
» BOCA MIUDA
Ademar Rocha chegou à Câmara de Vitória
» TRIANGULO
Disputa pela calcinha de Luma de Oliveira irrita o marido Eike que desafia o comprador para um duelo
» TURISMO
Conheça Florença, uma das mais belas cidades da Itália, com seu maravilhoso passado histórico e cultural
BOCA MIUDA

 
 
Ademar na muda  
 
Ademar Rocha chegou à Câmara de Vitória, primeiro, como suplente. Depois, obteve consagradora votação e acabou presidente do legislativo municipal.  
Foi a partir daí que se transformou no maior calo do prefeito Luiz Paulo Vellozo Lucas.  
Porém, Ademar garante que não será candidato a deputado estadual. Prefere ser o comandante na capital do que mais um entre 30 parlamentares na Assembléia.  
 
Demarcando território  
 
Os candidatos proporcionais nas próximas eleições que quiserem obter êxito precisam correr. Os mais “e$perto$” já estão demarcando território com o “convencimento” de cabos eleitorais locais.  
O deputado federal Ricardo Ferraço (PPS) é um exemplo. Associou-se a importante liderança da região Noroeste do Estado e está fechando o curral eleitoral, onde sua família explora grandes jazidas de granito.  
 
Qualé a de Camata?  
 
O senador Gerson Camata era um aliado do governador José Ignácio. Bastaram os ataques dos adversários para ele se afastar do seu ex-colega de Senado.  
Quando o PMDB acenou com um lugar para o governador se alojar, vieram duas notícias: uma de que, se isso acontecesse, poderia haver intervenção no partido; e outra, de que tanto Gerson quanto sua mulher Rita estavam saindo do partido.  
No fundo, diz-se à boca miúda, o que eles querem mesmo é retomar o PMDB das mãos de Luiz Carlos Moreira e Huguinho Borges.  
 
Vestibular político  
 
O primeiro-filho José Renato Ferreira está assustado com o aprendizado político que vem recebendo.  
Por isso, quando saiu a notícia de que ele poderia ser candidato a deputado nas próximas eleições, correu para desmentir: “Tenho muito que aprender antes de concorrer a um mandato. Por enquanto, ajudar o meu pai no governo já me basta”.  
 
Falso brilhante  
 
O deputado federal Magno Malta (PL-ES) tenta fazer todo mundo acreditar que ninguém no Estado chega ao presidenciável Anthony Garotinho, se não for por ele (perdão, Jesus Cristo, pelo trocadilho!).  
Muita pretensão do pastor-deputado.  
Há uma grande corrente evangélica, de quem Garotinho depende para chegar ao segundo turno, que não quer ver Magno nem pintado a ouro.  
Perguntem ao ouvidor-geral do Estado, Marinelshington da Silva, também pastor, só que da Assembléia de Deus, a qual preside no Estado.  
 
Descanso ou morte  
 
Depois de cinco meses de uma verdadeira batalha campal na política capixaba, o governador José Ignácio Ferreira conseguiu, finalmente, sair para descansar.  
Foi no feriadão da Independência.  
Dizem, mas ninguém quis confirmar, que foi ao encontro da primeira-dama Maria Helena acertar os ponteiros depois de longa ausência dela.  
 
Dúvida na estrada  
 
O Tribunal de Contas da União vai convocar o chefe do DNER no Estado, engenheiro Carlos Alberto, para explicar a contratação da empresa Contek para implantação e pavimentação da estrada do contorno de Colatina.  
O TCU considerou o preço acima do Sistema de Custos Rodoviários (Sicro).  
 
Pouca pressão  
 
O engenheiro Fábio Falce parece ter se movido rápido, ou tudo não passou mesmo de uma instrumentalização do cargo dele para dar um chega prá lá em certos pretendentes.  
Foi a praticamente zero a pressão para a troca na presidência da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa).  
 
Dúvida  
 
Por onde andará o vice-governador Celso Vasconcelos (PSDB), de súbita notoriedade na política capixaba?  
Vai acabar sendo lembrado apenas pelo punhal em seu derradeiro gesto.  
 
Título rejeitado  
 
O procurador da República no Estado Ronaldo Meira de Vasconcellos Albo quer evitar receber o título que alguns políticos têm lhe imputado: persona non grata.  
Como cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém, sempre que é procurado concede entrevistas, mas via de regra pede aos jornalistas para não o citarem como fonte, mas sim à Procuradoria da República.

  
Luiz Paulo Vellozo Lucas.

Ademar Rocha

deputado federal Ricardo Ferraço

Rita Camata

Gerson Camata

José Renato Ferreira

deputado federal Magno Malta

Marinelshington da Silva

o governador José Ignácio e primeira-dama Maria Helena

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.
» Publicidade