Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 308
Data:
15/6/2002
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1374681 vezes
» Índice
» Editorial
Um Estado controlado pelo crime?  

» Autos
Linhas arrojadas, conforto e segurança são alguns dos itens que compõem o Fiesta 2003
» Turismo
Para praticar esportes na neve, fazer compras ou viver uma aventura a dois, Andorra é o melhor destino
» Turisnotas
Hotel Transamérica Salvador Morro do Conselho oferece pacotes especiais para casais em lua-de-mel  

» Triangulo
Telefonica Celular do Espírito Santo inaugura loja própria, com 209m2, no Shopping Vitória
Turisnotas

Desrespeito  
A comparação é inevitável, mas foram, nos últimos dois anos, cerca de 60 vôos diretos de ida e volta para Salvador, sem que nesse período houvesse um cancelamento, um atraso ou o menor imprevisto. A companhia aérea: Vasp. Fecha o pano.  
Aeroporto Internacional Luiz Eduardo Magalhães, segunda-feira, dia 27 de maio, vôo Nordeste 5746, marcado para 5h10 da manhã. Às 4 horas, 16 passageiros já se aglomeravam em frente ao check-in da companhia aérea. 4h30, alguém observa que havia algo errado pois até aquela hora, ninguém da companhia se apresentara ao balcão. Pessoalmente fui até um dos monitores e notei não haver qualquer registro do 5746. Não aparecia sequer como cancelado. Simplesmente, o vôo “desaparecera”.  
Entre os 16 desafortunados passageiros, havia professores, executivos, advogados, enfermeiros... todos com compromissos agendados para o turno da manhã. Exatamente às 5h10, horário em que o 737-500 da Nordeste deveria estar decolando para Vitória, do nada, surge um cidadão de nome Nascimento dizendo-se empregado da Nordeste. Sem dar qualquer satisfação, pede os nossos bilhetes para acomodação em “outros vôos” e oferece um ticket de R$ 8,00 para que tomássemos o café da manhã.  
Qualquer outra informação não nos foi oferecida. Alguns passageiros, indignados, recusaram o ticket preferindo, como medida de protesto, pagar do próprio bolso o café. Ao cobrarmos respeito e responsabilidade da Nordeste, ouvimos perplexos o Sr. Nascimento dirigir-se a este repórter e... “É melhor o senhor ir tomar o seu café do que ficar aqui provocando tumulto”. Daí pra frente, foi uma sucessão de achincalhes, irresponsabilidade e, mais uma vez, desrespeito ao passageiro que passou a ser tratado pior do que carga. Até porque carga, com preço especial, tem endereço e hora para chegar ao destino. Já nós passageiros ficamos à mercê do interesse da Nordeste de nos acomodar no vôo que melhor lhe conviesse.  
Dos 16 passageiros, um recebeu uma distinção especial. De imediato, foi acomodado no vôo menos pior, o Varig para Vitória via Rio de Janeiro – no qual, por pressão, posteriormente, os que não desistiram de embarcar foram acomodados. Questionado pelos demais, o cara-de-pau do Nascimento argumentou que a pessoa em questão tinha reserva nos dois vôos. Mentiroso, não?  
Atrasar vôo, cancelar seja lá por qual motivo for, é ocorrência normal e perfeitamente compreensível. Até mesmo por questões econômicas. É duro decolar um 737 com meia dúzia de assentos tomados. Nesse caso, é necessário um consenso e a preservação do interesse de quem pagou o bilhete e confiantemente fez e confirmou a reserva.  
Há nesse episódio, entretanto, duas agravantes: era segunda-feira e às 4 da madrugada. No domingo, às 23 horas, a passageira Janete Gomes havia ligado para o sistema de reservas e o vôo estava confirmado. Informações fidedignas, porém, garantem que na verdade o vôo 5746 fora cancelado desde quinta-feira, dia 23. Os 16 infelizes passageiros todos tinham telefones para serem comunicados sobre eventualidades. Mesmo assim, não o foram.  
Uma pena que empresa do porte da Nordeste, comandada por um executivo brilhante como o João Roberto Lacerda Sabino, tenha chegado a esse ponto e permita nos seus quadros, profissionais como o Sr. Nascimento que, com o perdão do trocadilho, deve matar de vergonha aqueles que levam o emprego a sério e de raiva o passageiro que acorda às 3h30 da madrugada para se sentir tratado como uma mala velha.  
 
 
A TAM irá investir R$ 5 milhões em obras de infra-estrutura em seu Centro de Manutenção de Aeronaves e Componentes Tecnológicos de São Carlos, no interior do Estado de São Paulo. Com o investimento, a empresa aérea estima criar 1.600 novos empregos. Do total a ser aplicado na obra, R$ 2 milhões devem ser utilizados já nos meses de junho e julho e o restante até o final de 2002.  
 
Transamérica  
Passar uma tarde em Itapuã ou uma noite em Salvador, o que importa é estar envolvido pelo clima da Bahia. Para os recém-casados uma ótima sugestão é incluir esse Estado rico em cultura e simpatia no roteiro de lua-de-mel e programar a noite de núpcias para o Transamérica Salvador Morro do Conselho, que tem pacotes especiais para a ocasião.  
Romantismo é o tempero para o momento e as opções são variadas. O casal pode escolher entre os apartamentos executivo, special e master, recebendo up grade para acomodações de luxo, ou ainda entre as suítes executiva e master. Todos com café da manhã servidos no apartamento, em bandeja sempre acompanhada de flores, e com kit para um banho relaxante. O check out se estende até as 18h e as tarifas variam de R$ 180,00 a R$ 800,00.  
A arquitetura e a localização do Transamérica Salvador Morro do Conselho permitem aos seus hóspedes o desfrute de tudo o que a capital baiana oferece para ser visto, inclusive a paisagem deslumbrante desta foto.  

  
Em posse de VidaBrasil, o executivo

Cercado pelos passageiros indignados, o Sr. Nascimento



Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.